terça-feira, 2 de março de 2010

mapa

Tem uma estrada que se chama trabalho. É preciso seguir o caminho sozinho pelo seu corpo. Alguns farão companhia, mas o trajeto é feito por dois pés (de quem caminha sozinho). Há possibilidade de recompensa. Não há certeza. Não há garantia.

Tem uma estrada que se chama família. Dessa estrada não se sai e não se volta. Todos os caminhos levam até uma estrada espiralar. Em cada passo fica um pouco do essencial.

Tem uma estrada que se chama saudade. Não há mistério de trajeto, sabe-se aonde começa e aonde termina. Só não se sabe como atravessá-la.

Tem uma estrada que se chama amor. Por ela não se passa nem se fica. O contorno é frágil. A travessia é quase sempre inventada.

"Todos os caminhos
Nenhum caminho
Todos os caminhos
Nenhum caminho

Nenhum caminho - a maldição dos poetas."
(Manoel de Barros)

2 comentários:

BOBO disse...

welcome to sacdepvietnam.blogspot.com

Pitanga Vampire disse...

oolá, estou seguindo teu blog, segue o meu? (: