segunda-feira, 28 de maio de 2012

_


"Tô relendo minha vida, minha alma, meus valores

Refazendo minhas forças, minha fonte, meus favores
Tô regando minhas folhas, minhas faces, minhas flores
Tô limpando minha casa, minha cama, meu quartinho
Tô soprando minha brasa, minha brisa, meu anjinho
Tô bebendo minhas culpas, meu veneno, meu vinho
Escrevendo minhas cartas, meu começo, meu caminho
Estou podando meu jardim
Estou cuidando bem de mim."

Florbela Espanca.

água

algumas coisas merecem ser afogadas



quarta-feira, 23 de maio de 2012

.

vou nomear-me uma profissão: serei mergulhadora.

talvez isso me impeça de viver as coisas na superfície
ou pelo menos possibilite que o mundo 
possa a ir a fundo.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

.

gente é pra brilhar
não pra morrer de fome

domingo, 20 de maio de 2012

_

"sinto-me livre para fracassar"

pé no hoje

calarei os desejos para preservá-los. o silêncio sabe guardar o tamanho das coisas. calarei os desejos, calarei as palavras. talvez você me escute na mudez. talvez isso finalmente me explique o inexplicável. talvez assim você fale. ou deseje. 
cansei-me dos projetos, das metas e dos cálculos. só retorno aos desejos quando eles pertencerem à terra. à carne. ao palpável. fincarei os pés na realidade sem perder os impulsos. fincarei os pés no instante, inauguro a temporada do fluxo natural das coisas. deixo que venham os imprevistos. permito inaugurar-me no fracasso. meu corpo pertence ao que aconteço. calarei os desejos. calarei os desejos para voltar à vida. 

tente lê-los

de tanto não poder dizer

meus olhos deram de falar


alice ruiz.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

quarta-feira, 16 de maio de 2012

_ _ _ _ _ _

"__ __ __ __ __ __ estou procurando, estou procurando. Estou tentanto entender. Tentando dar a alguém o que vivi e não sei a quem, mas não quero ficar com o que vivi. Não sei o que fazer com o que vivi, tenho mêdo dessa desorganização profunda. Não confio no que aconteceu. Aconteceu-me alguma coisa que eu, pelo fato de não a saber como viver, vivi uma outra? A isso quereria chamar desorganização, e teria a segurança de me aventurar, porque saberia depois para onde voltar: para a organização anterior. A isso prefiro chamar desorganização pois não quero me confirmar no que vivi - na confirmação de mim eu perderia o mundo como eu o tinha, e sei que não tenho capacidade para outro.
Se eu confirmar e me considerar verdadeira, estarei perdida porque não saberei aonde engastar meu nôvo modo de ser - se eu fôr adiante nas minhas visões fragmentárias, o mundo inteiro terá que se transformar para eu cabêr nele."

(a paixão segundo g.h. - clarice lispector. 
finalmente, conseguindo ler.)

como quem soca um coração sem resposta


quarta-feira, 9 de maio de 2012

os desastres do amor

"o amor está ao alcance da mão
então você estica os braços
tenta colhê-lo e ao fazê-lo
o empurra para mais distante


a distância te ajuda a compreendê-lo
quer dizer, a tê-lo entre os dedos
mas entre os dedos não basta
então você estica os braços, quer acolhê-lo


e ao fazê-lo, empurra ainda
para mais distante: a distância
te completa de angústias
você tem que declarar seu desespero


o amor quer ser cantado a cântaros
você se derrama nas águas do amor
e o amor é tudo ao redor
você é rio você é vento luz do sol você é ar


e te pedem que brilhe
como ao meio dia
então você brilha
e a sua luz ofusca os olhos do amor


agora é guiar aquele que você procurava
você cego procura o caminho certo
e guia quem tem os olhos foscos
mas não há mais tempo:


você defendeu o amor em todas as guerras
travou lutas contra ele em favor dele mesmo
e da única causa na qual pôde crer
e assim o deixa cada dia mais distante


mas isso não é tudo
o amor está em toda parte, você
quer amá-lo que beijá-lo degustá-lo
no entanto, você está só."


Leo Gonçalves

terça-feira, 8 de maio de 2012

jamais um dia conseguimos ser

vou te enviar de presente um lamento
ou melhor
um silêncio
talvez
o que exista em nós
seja sobra
do pouco
espesso
que jamais um dia conseguimos ser.


vou te enviar de presente um suspiro
ou melhor
uma suspeita
eu sei
que não se trata
de um momento
puro
que jamais um dia conseguimos ser.


vou te enviar de presente uma mentira
ou melhor
uma certeza
porque
se escolhe aquilo
que se aposta
mas, sei
que jamais um dia conseguimos ser.

deixa cair
deixa quebrar
deixa.


domingo, 6 de maio de 2012

dez por cento é mentira

engraçado: o coração não devia doer. mas a saudade que eu sinto hoje não é nem de você. porque você é uma coisa que nunca existiu. porque o você que hoje vejo não é você . e o você que não vejo é o eu que um dia eu fui e perdi. você virou outra coisa. eu revirei. e daqui, o que vejo é invenção - minha. 
haverá amor na lucidez?